Modo de usar:

.......................................Espaço de Educação Musical para pais, alunos, amigos e colegas de profissão da professora Luciana.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Aula 01 - Infantil II e III - A música nos ensina regras

Sobre o tema da aula:

Um dos grandes trunfos da Educação Musical é, além de trabalhar todos os objetivos musicais e transversais, como linguagem e raciocínio lógico-matemático, socialização, etc, ensinar as crianças de forma clara e eficaz sobre regras. A Música está cheia de regras que podem ser apresentadas de maneira lúdica. Escolhi este tema para a primeira aula porque as crianças daEducação Infantil estão passando, justamente, por um período de adaptação, em que confrontam as regras de convivência de seu lar com as novas regras impostas pela escola. O grupo social, o ambiente e a rotina são muito diferentes daqueles vivenciados em família, e por vezes custa à criança compreender e aceitar esses novos limites. A música vem em auxílio para provar que as regras não só são importantes como também podem ser agradáveis de seguir, já que as brincadeiras musicais só funcionam se seguirmos certas regras. Esta reflexão foi feita pelo meu professor de Musicalização, o querido Flávio Medeiros, durante uma de suas inesquecíveis aulas. E é uma reflexão que virou ação e deu muito certo com meus alunos da turma entre 3 e 6 anos.

Como foi?

Aula de música tem que SEMPRE começar interessante a animada. Começamos trabalhando pulso, duração e timbre com essa música super simpática do CD "Conversa de Bicho". Usamos clavas para acompanhar, e foi uma "pipocada" jóia! Depois cada aluno virou uma "pipoquinha" pulando como sugere a música.



Para nos apresentarmos, utilizei a brincadeira de passar a bola, e quando a música para, quem está  com a bola diz o nome e todos o repetem, seguindo a orientação de um pulso dado pela professora.

Depois cantarmos e dançamos juntos a canção "Empurra o trem -  CD Para Crescer – Coleção CDzinho":

"Empurra o trem que assim ele anda bem. (Bis)
Se não empurrar, o trenzinho vai parar (Parou!)
Lá vem o trem pilotado por alguém. (Bis)
Quem pilotou diga o nome, por favor.

Empurra o carro que ele pega no embalo. (Bis)
Se não empurrar o carrinho vai parar. (Parou!)
Lá vem o carro pilotado por alguém. (Bis)
Quem pilotou diga o nome, por favor.

Empurra o bonde que ele vai não sei pra onde. (Bis)
Se não empurrar o bondinho vai parar. (Parou!)
Lá vem o bonde pilotado por alguém. (Bis)
Quem pilotou diga o nome, por favor.

Refrão:
Piuí! Piuá! O trenzinho é maluquinho ele anda sem parar. (Bis)
Bota a mão no ombro, bate o pé (Bis)
O trenzinho é maluquinho ele vai onde ele quer.
Como é que o trem faz? Piuí (Bis)"

Pode-se utilizar qualquer outra música com comandos corporais. Comentamos sobre as regras apresentadas pela música, e como seguí-las tornava a brincadeira mais divertida. Observamos que se um só aluno não seguisse essas regras, todos os outros não poderiam brincar. Contextualizamos essas informações, fazendo as crianças  lembrarem das regas que elas seguem em casa, na escola e em outros ambientes sociais. Mostrei várias plaquinhas com essas regras representadas, e eles gostaram muito de ver e identificar cada uma.

A idéia também  foi iniciar as crianças na história de uma viagem pelo Mundo da Música, de onde partimos de trem. E por falar em trem, não poderíamos deixar de lembrar Villa-Lobos com seu Trenzinho Caipira. Aproveitamos a música para perceber as dinâmicas de rápido-lento enquanto fazíamos a apreciação da obra. Numa segunda audição, as clavas estavam disponíveis para quem quisesse fazer a marcação do pulso ou simplesmente se expressar ritmicamente.


Concluímos explicando que as regras musicais nos ajudam a ouvir, cantar e tocar melhor. E relacionamos algumas regras musicais (o professor pode criar outras regras até com a ajuda dos alunos):

- Cantar, tocar e movimentar-se dentro da pulsação da música; (já tinha explicado o que é pulso)
- Ouvir com atenção antes de cantar;
- Ouvir a própria voz e conferir se ela está cantando as mesmas notinhas que a professora cantou;
- Cantar e tocar junto com os colegas, e não tentando fazer mais alto que eles;
- Não ter medo nem vergonha de cantar, dançar, tocar ou fazer qualquer brincadeira musical, mas esperar o momento para fazer cada coisa.
- Tratar bem os instrumentos, e saber a hora de começar e de parar de tocar.

Dica para os pais

Pesquisas demonstram que para uma música ser bem fixada na mente da criança ela tem que ser ouvida pelo menos três vezes ao dia, durante uma semana. O nome da música e do compositor também devem sempre ser anunciados. Ouvindo passivamente ou dançando, cantarolando, brincando, o importante é que a música seja um momento de prazer. Colocarei aqui, a cada aula, uma música que trabalhamos em sala de aula para ser companhia para você e seu filho em casa, no carro, durante as brincadeiras, no computador... escute, perceba detalhes, preste atenção na reação dele, e curta esse momento com seu filho!





Dica para professores

Como fazer clavas? A clava, ou pau-de-rumba, como também é conhecido, é um instrumento fundamental para a musicalização infantil. É de fácil manejo e permite explorar vários elementos musicais, além de marcar ritmo em atividades psicomotoras também. Você pode encontrar para vender por menos de R$ 20,00, mas se sua turma for grande pode ser dispendioso comprar um par para cada aluno. A solução que encontrei aqui foi fazer as minhas clavas. É melhor que a clava seja de madeira firme, "de lei", pois a sonoridade é melhor. Mas também é possível obter resultados interessantes, em turma, com clavas feitas de pinus, que é  mandeira dos cabos de vassoura.

(corte pedaços de cabos de vassoura de 20cm de comprimento)

(lixe bem para tirar as rebarbas e farpas)

(Pinte. Eu usei base acrícilica para artesanato, e por cima pintei com tinta acrílica vermelha. Ah, e use luvas se tiver amor aos seus dedinhos)



Observe que aos 0:19s Vinícius, por iniciativa própria, cria um ostinato. A idéia, neste primeiro momento, era fazer eles se expressarem livremente, ou acompanhar o pulso, mas sem modelos nem nenhum tipo de indução, apenas para "sentir" a música.

2 comentários: